rodoviaria02

Suspeito de estuprar adolescente por dois anos e mantê-la em cárcere é preso em Betim

21-07-2019Foto: Divulgação/PCMG

Um homem foi preso em Betim, por suspeita de estuprar uma adolescente de 13 anos. A garota ficou desaparecida por dois dias e foi encontrada na casa da mãe do autor, mantida em cárcere privado. Os abusos ocorriam há pelo menos dois anos, conforme a Polícia Civil (PC), que apresentou detalhes do caso nesta terça-feira (23).

O suspeito, de 45 anos, era vizinho, amigo da família da vítima e chegou a fingir para os pais dela que estava ajudando nas buscas pela garota. Após chegar do trabalho e perceber que a adolescente não havia voltado para casa, no bairro Nossa Senhora de Fátima, a mãe entrou em contato com colegas da escola. Ao mostrar fotos de conhecidos, uma amiga mais próxima da menina, de 12 anos, disse que o homem já teria dado dinheiro e presentes à garota em outras ocasiões e poderia estar envolvido.

A mãe da vítima procurou a polícia, que convocou o suspeito para prestar depoimento. Segundo a delegada da Unidade Especializada de Atendimento à Mulher de Betim, Ariadne Elloise Coelho, o homem ficou muito nervoso durante o testemunho e acabou confessando que a sequestrou e levou para a casa onde vivem a mãe e a irmã dele, no bairro Açude - região de sítios do município.

A menina foi resgatada e diz ter sofrido maus tratos durante o cárcere, ficando “a base de água”. Ela ainda afirmou que as familiares do autor sabiam dos abusos sexuais. “Conversando conosco, ela disse que, quando entrou na casa, a mãe falou ‘mais uma? isso vai dar problema’”, relata a delegada. Mãe e irmã do suspeito, porém, alegam que ele justificou a presença da adolescente dizendo ser o pai dela.

Perfumes, roupas, maquiagem e celular seriam alguns dos presentes que o suposto abusador dava à jovem. Ela contou que os abusos começaram há dois anos e que, sempre que tentava escapar, ele a ameaçava dizendo que mataria os pais dela. Para se encontrar com a vítima, ele contratava um motorista de aplicativo, que a buscava na escola e levava para locais como shoppings e a casa dele.

A amiga que ajudou a encontrar a adolescente disse à PC também ter sido violentada sexualmente por ele. A delegada Ariadne Coelho ainda conta que o homem chegou a enterrar o próprio celular em frente a um cemitério, no bairro Cachoeira, para não ser localizado pela família da vítima e pela polícia. De fato, o aparelho foi encontrado na porta da necrópole por investigadores.

O suspeito foi preso em flagrante por cárcere e deve responder também pelo crime de estupro de vulnerável. As penas de cada um dos delitos são de 2 a 5 anos e 8 a 15, respectivamente. A mãe, a irmã do autor e o motorista citado nos depoimentos já foram localizados e ouvidos pela polícia. As investigações continuam, segundo a delegada, para identificar se o suspeito fez outras vítimas e compartilhava material pornográfico.

Cuidado

Ariadne lembra que, nos casos de abuso sexual de menores, é muito comum que o estuprador seja uma pessoa próxima da vítima, como parente, vizinho ou amigo da família. Ela ainda alerta os pais para que prestem atenção em mudanças de comportamento dos filhos.

“É importante observar com o que o jovem está chegando em casa, se leva presentes, dinheiro, se está agindo de forma agressiva ou depressiva. Tudo isso pode nos ajudar a identificar essas situações”, afirma.

Adicionar comentário

Este espaço é fornecido para que os internautas possam expressar suas opiniões sobre o artigo postado. Para outros comentários clique aqui.



Publicidade