Polícia desmantela tribunal do crime em Betim

44-11-2020Foto: Estado de Minas / Divulgação

Uma organização criminosa de Betim que era comandada por um detento que cumpria prisão domiciliar foi desmantelada pela polícia nesta quinta-feira (19/11). O grupo é suspeito de incendiar ônibus na cidade e mantinha um tribunal do crime, que usava uma videoconferência, com a participação desse chefe. A descoberta veio a partir do momento em que a Policia Militar salvou da morte uma vítima que tinha sido torturada e condenada à morte. Seis integrantes do grupo foram presos, suspeitos de associação criminosa, tráfico de drogas, tortura, corrupção de menores e roubo.

As investigações que levaram ao esclarecimento de diversos crimes, segundo os delegados César Augusto Monteiro e Roberto Veran, da Delegacia de Betim, tiveram início ainda em 2019, quando dois traficantes foram mortos depois de uma troca de tiros com a PM. Logo em seguida, tiveram início os incêndios a ônibus coletivos.

Segundo a polícia, tudo começou quando um menor, que teria comprado drogas e não pagou sua divida com o tráfico, foi preso pelos traficantes e levado a julgamento.

A vítima teria sido levada a uma casa, onde aconteceu o tribunal. Foi amarrado e torturado. Nesse tribunal, transmitido por videoconferência, ficou decidido que a vítima deveria morrer carbonizada. Por sorte, o serviço de inteligência da PM conseguiu identificar o local e acabou invadindo a casa que era usada como tribunal, libertando o menor.

Os membros da quadrilha, seis homens e quatro menores, sendo uma mulher, que era a principal torturadora, acabaram fugindo. Tiveram, a partir desse evento, início os incêndios a coletivos. Um deles aconteceu em frente à casa da família do menor condenado à execução.

A partir desse incêndio, o segundo em uma semana em Betim, as investigações levaram os policiais à identificação e captura do grupo. O cabeça do grupo, que comandava os julgamentos de dentro do presídio, tinha conseguido prisão domiciliar, depois de 10 anos de cadeia, por tráfico e homicídios, segundo o delegado César Augusto. O homem foi preso em casa.

Adicionar comentário

Este espaço é fornecido para que os internautas possam expressar suas opiniões sobre o artigo postado. Para outros comentários clique aqui.


transparente