Polícia desmantela quadrilha que tocava o terror em conjunto habitacional

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) desarticulou uma organização criminosa que dominava um conjunto habitacional do programa do governo federal Minha Casa Minha Vida, no bairro Paquetá. Ao todo, 20 integrantes da quadrilha foram presos, inclusive o líder do bando, Milton Fidélis, mais conhecido como Gordo.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Roberto Veran, as investigações foram iniciadas há cerca de um ano e meio por causa da onda de homicídios que estava ocorrendo na região e aterrorizando a população. Ao menos 21 pessoas foram assassinadas pela quadrilha e 40 famílias foram expulsas dos apartamentos em que moravam.

“Os imóveis eram escolhidos por estarem em pontos estratégicos dentro do conjunto habitacional. Eles eram usados para armazenar armas, drogas e até cães dos traficantes.
Por semana, os bandidos conseguiam vender até 80 mil em entorpecentes. A droga tinha inclusive um selo com a imagem dos prédios do conjunto habitacional e do personagem dos quadrinhos, o incrível Hulk”, explicou o delegado Veran em coletiva de imprensa dada a imprensa na tarde desta terça-feira (28), em Betim.

As prisões dos 20 integrantes da quadrilha foram iniciadas em abril deste ano. O bando agia com muita violência e se autodenominava PCP, que significa Primeiro Comando do Paquetá.
Além do líder da organização criminosa, foram presos ainda outros três integrantes da quadrilha que são extremamente perigosos: Leonardo Ferreira de Jesus, o Angolano, e o cunhado dele, Luiz Rodolfo Valetim, o Dodô, sendo esse último integrante do PCC. Os dois eram responsáveis por cometer os homicídios da quadrilha.

Ralisson Cézar Silva Sales, o Ratão, era o gerente o tráfico e também foi preso. Já outro criminoso considerado de alta periculosidade e que continua foragido é Isac Lídio Pereira de Oliveira, o DG, que também atuava como gerente do bando. “Essa é somente a primeira fase desta operação. Vamos continuar as investigações para prender os demais integrantes desta organização criminosa”, finalizou Veran.

Adicionar comentário

Este espaço é fornecido para que os internautas possam expressar suas opiniões sobre o artigo postado. Para outros comentários clique aqui.