Moradores de Betim e de outras cidades atingidas pelo desastre de Brumadinho poderão eleger ações de reparação para serem executadas pela Vale

cidadebetimonline001Foto: Betim Online

Os moradores de Betim - uma das cidades atingidas pelo rompimento da barragem Córrego do Feijão, em Brumadinho, ocorrido em janeiro de 2019 - poderão escolher como a empresa Vale, responsável pela barragem, irá reparar os danos estruturais provocados pelo desastre. O processo de consulta popular que definirá as prioridades elencadas pelos eleitores para os respectivos domicílios eleitorais ocorrerá nos 26 municípios atingidos. Para participar, os cidadãos precisam estar com o CPF cadastrado na Justiça Eleitoral até quinta-feira (30). Vale ressaltar que as pessoas afetadas que já recebem o Pagamento Emergencial da Vale estão automaticamente habilitadas à consulta.

Para verificar se o CPF está cadastrado, basta acessar a seção “Título e local de votação - Consulta por nome” no site do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG), utilizando o CPF no primeiro campo e preenchendo, em seguida, a data de nascimento e o nome da mãe. Caso a consulta seja concluída exibindo o CPF como um dos dados cadastrais significa que o documento consta na base de dados da Justiça Eleitoral e, portanto, não há necessidade de seguir para o próximo passo. Se o cidadão identificar que seu CPF não está cadastrado, ao seguir o passo anterior, poderá realizar a inserção por meio do "Atendimento on-line - Título Net", também no site do TRE-MG, até o próximo dia 30.

A votação ocorrerá entre os dias 5 e 11 de outubro, por meio do aplicativo para dispositivos móveis “MG App Cidadão”, que é gratuito. Para garantir a todos a oportunidade de escolher os temas e subtemas prioritários para reparação, a Prefeitura de Betim disponibilizará, no período de votação, totens em pontos estratégicos da cidade para aqueles que não têm acesso à internet ou que não querem baixar o aplicativo. Os locais serão divulgados posteriormente.

Betim já recebeu uma pequena parcela da verba indenizatória da Vale no início de agosto. O recurso será utilizado para a execução da segunda etapa das obras da avenida sanitária Goiabinha e para demais intervenções no Citrolândia. Agora, com a consulta pública, os moradores elegem outras prioridades que serão executadas diretamente pela empresa na cidade. A ação faz parte do Termo Judicial de Reparação, assinado pelo Governo de Minas Gerais, pelo Ministério Público e pela Defensoria Pública do Estado.

Adicionar comentário

Este espaço é fornecido para que os internautas possam expressar suas opiniões sobre o artigo postado. Para outros comentários clique aqui.


transparente