Mais de 500 crianças com até seis anos perderam os pais para Covid-19 em Minas, diz sindicato

22-10-2021Foto: TV Globo/Reprodução

Os gêmeos Oliver e Asafe, o pequeno Ravi e o garotinho Benjamin estão entre as 579 crianças que ficaram órfãs em Minas Gerais depois de perderem um dos pais para a Covid-19.

O levantamento foi feito pelo Sindicato dos Oficiais de Registro Civil das Pessoas Naturais do Estado de Minas Gerais (Recivil). As mortes aconteceram entre 16 de março de 2020 e 24 de setembro deste ano.

Segundo o sindicato, os dados foram obtidos com base no cruzamento entre os CPFs dos pais e os registros de óbitos feitos nos 1.463 Cartórios de Registro Civil do estado.

“Diante de dados tão relevantes proporcionados pelo portal da transparência do registro civil, o poder público poderá trabalhar com iniciativas de apoio e proteção às crianças brasileiras órfãs, " disse Genilson Gomes, presidente do Recivil.

Em todo o páis, neste mesmo período, 12.211 crianças de até seis anos de idade ficaram órfãs de um dos pais vítimas da Covid-19.

Segundo os dados levantados pela Arpen-Brasil, 25,6% das crianças não tinham completado um ano. São Paulo, Goiás, Rio de Janeiro, Ceará e Paraná foram os estados que mais registraram óbitos de pais com filhos nesta faixa etária.

Adicionar comentário

Este espaço é fornecido para que os internautas possam expressar suas opiniões sobre o artigo postado. Para outros comentários clique aqui.


transparente