Vereador Vila

vilaCordovil Neves de Souza conhecido como Vila, nasceu em Betim no bairro Citrolândia e onde dedicou parte de sua vida a esta comunidade.
Foi diretor da na Escola Estadual Dr. Orestes Diniz e hoje é vereador de um dos maiores colégios eleitorais da cidade.
Em entrevista exclusiva ao BETIM ONLINE, Vila fala sobre seu trabalho realizado na região do Citrolândia, como vereador dentro da Câmara Municipal.

- Fale sobre sua experiência como militante do PT e como foi sua participação na fundação do Sind–Ute e do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (MORHAN) em Betim?

Tornei-me professor em 1979. Neste mesmo ano participei da primeira greve estadual da categoria e de todas as posteriores. A partir das organizações das greves de 1979 e 1980 formamos a União dos Trabalhadores em Educação (UTE), que mais tarde tornou-se o SindUTE. No ano de 1993 fui vice-presidente da entidade ao lado da atual secretária municipal de Educação, Sandra Angélica. É através da educação que a sociedade muda e é o movimento dos trabalhadores o responsável por organizar aqueles responsáveis por esta mudança.

No Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan), comecei minha militância em 1981, ano da criação da entidade. Em janeiro de 1983, oficialmente foi fundado o Núcleo da Colônia Santa Izabel, durante a comemoração do Dia Mundial da Hanseníase. Esses 30 anos como voluntário do Morhan foram fundamentais para minha formação política, pois o movimento, diferente de outras entidades sociais, foi organizado pelo próprio paciente, na pessoa de Francisco Augusto Vieira Nunes (Bacurau).

No mesmo período em que foram organizados estes e tantos outros movimentos sociais começaram os debates para a formação de um novo partido que atendesse as necessidades dos trabalhadores e contemplasse os menos favorecidos. Foi assim que o PT nasceu, para mudar a política brasileira, com foco nas minorias socialmente excluídas.


- Quais os outros movimentos de lutas populares o senhor na cidade?

Desde o começo de minha militância venho participando de lutas populares necessárias à criação de uma sociedade mais justa, como associações comunitárias, formação de lideranças, movimentos nas áreas da saúde, educação e na causa dos ex-portadores de hanseníase e seus descendentes. Dentre eles, vale destacar o Comitê de Integração Social de Citrolândia (CISC), Central dos Movimentos Populares de Minas Gerais, Movimento das Pessoas com Deficiência e atualmente o Centro de Ecologia Integral de Betim (CEIB). 

 

- Qual sua relação de amor com a Colônia Santa Izabel? Conte como foi quebrar o tabu do preconceito junto à sociedade em relação aos hansenianos e como foi a integração dos mesmos numa sociedade que ainda carrega este preconceito?

Nasci em Citrolândia e tenho enorme afeição pelo lugar e sua história. Como todos os moradores, fomos vítimas do preconceito em relação à hanseníase. Nos engajamos no Morhan porque percebemos que toda conquista social só é efetivada através da mobilização e organização das pessoas. A luta contra qualquer tipo de preconceito é árdua e o processo de inserção social dos ex-pacientes de hanseníase na sociedade ainda está em curso.

 

- O senhor acha que a falta de informação sobre a Hanseníase o que faz crescer este preconceito entre as pessoas?

A história da hanseníase é uma história de equívocos, e o maior deles foi a postura científica da época em relação à doença, reforçada pelo estigma da palavra ‘lepra’, associada às sequelas deixadas nos pacientes. Hoje, temos o tratamento adequado e informações científicas corretas sobre a hanseníase. O que precisamos é levar essa notícia às pessoas. O fundador do Morhan, Francisco Augusto Vieira Nunes (Bacurau), disse com acerto: “Hanseníase tem cura. Essa é a grande manchete do século XX”. E o preconceito também tem cura.

 

- Quais as melhorias o Senhor fez no bairro Citrolândia, bairro este onde nasceu, cresceu e constituiu família? Qual a sua participação junto à comunidade na intervenção na mudança de uma agencia dos correios, na qual tem dificultado a vida dos moradores pelo difícil acesso a agencia, sabemos que o mesmo faz parte da Comissão de Defesa da Pessoa Idosa e mesmo assim permitiu que a unidade dos correios fosse retirada.

Há anos venho me dedicando a todas as causas que possam trazer melhorias para a comunidade. Na década de 1990, participamos da luta pela água na região e pela construção da trincheira na BR-381. Agora, que ocupo um espaço de poder importante – graças ao apoio da comunidade – acompanho e encaminho projetos e obras para a região. Aliás, a prefeita Maria do Carmo tem um carinho especial por Citrolândia e Santa Izabel e sempre participou das lutas da comunidade, especialmente do processo de indenização dos ex-pacientes que foram confinados nas colônias.

Participei, especialmente enquanto líder de governo na Câmara, das discussões, negociações e fiscalizações de importantes ações do Governo Maria do Carmo. Dentre elas, muitas para região de Citrolândia. Vale destacar a aquisição do Hotel Fazenda Campanário para se tornar o Centro Educacional Paulo Freire que junto com o Cine Teatro Glória e um sítio tira das ruas mais de 1300 crianças da região, através do Escola da Gente, com atividades esportivas e artísticas; a criação e implantação dos três Distritos Industriais (nos bairros São Marcos, São Salvador e Charneca), fechamento do Aterro Sanitário e início do processo de transformação do espaço em um parque ecológico, implantação do Conselho Tutelar, do Centro Infantil Dona Bizu, dezenas de obras de como drenagens, pavimentação e rede de esgoto, especialmente nos bairros Alto Boa Vista e São Salvador e várias outras conquistas.

É importante lembrar que outras conquistas estão chegando para a região, como o Centro Infantil Benvinda Lucas, a construção do Complexo Esportivo, a restauração das Ruínas da Enfermaria de Santa Izabel para implantação do Centro de Memória Luiz Verganin.

Quanto aos Correios, havia uma negociação com o Governo anterior para a transferência da agência para Citrolândia. Reconhecendo a importância prática e histórica dos Correios para Santa Izabel nos organizamos com participação de moradores e apoio da prefeita Maria do Carmo e da deputada Maria Tereza, para negociar com a coordenação dos Correios a volta da agência. Conquistamos a reabertura que acontecerá em breve. 

 

- Como membro de várias Comissões o que tem feito por cada uma delas cite algumas ações nas Comissões de Trabalho e Desportos, Defesa do Servidor Público, Meio Ambiente, Defesa dos Direitos da Criança, Adolescente e Juventude, Defesa da Pessoa Idosa e Cultura?

Nossa principal atuação nas comissões é fomentar a participação popular, para isso, nossas principais ações foram os seminários e as audiências públicas. Estes são importantes espaços para a população reivindicar e ajudar a propor alternativas para as demandas sociais. Realizamos por exemplo os Seminários de Esportes e do Trabalho, Audiências Públicas Fim do Lixão de Citrolândia, Distritos Industriais em Betim, Filhos Separados – Órfãos por Imposição do Estado, Enchentes e Mineradoras, entre outras.

 

- Vereador, sabemos que muito pouco a atual administração tem feito pelos Servidores Públicos, recentemente tivemos a greve dos professores e também da saúde e não podemos esconder a insatisfação dos funcionários, como o senhor ver esta insatisfação e o que o mesmo tem contribuído para amenizar este problema, uma vez que o mesmo faz parte de uma comissão na qual deveria apresentar propostas e projetos para sanar descontentamento?

É legítimo que os trabalhadores reivindiquem sempre melhorias de salários e de condições de trabalho. Infelizmente, com a implantação da Lei do ICMS Solidário, Betim perdeu parte considerável de sua receita. O Governo então beneficiou os servidores com o reajuste máximo possível, obedecendo a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Cabe destacar que a o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) de Betim é um dos melhores do país e foi criado no primeiro governo da prefeita Maria do Carmo. É pena que no governo anterior houve uma desmoralização do plano, o que trouxe dificuldades para manter o bom andamento do mesmo. Recentemente foi inaugurada a Escola de Formação do Servidor Professor Cleno Vicente Ramalho e o dia do Servidor foi celebrado com uma grande festa.

 

- Como membro da Comissão de Cultura o senhor também não tem se preocupado com este fator, podemos falar sobre a festa anual do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (MORHAN) em Betim, que acontece no final de janeiro de cada ano, o senhor não acha que falta mais ações dentro da Colônia, temos o Teatro que é muito pouco utilizado pelos moradores, já não é hora de colocar a população pra participar mais e com isso criar alternativas para tirar as crianças e jovens das ruas e também buscar atividades para os idosos?

O Concerto contra o Preconceito é um dos maiores eventos do calendário cultural da cidade e o teatro de Santa Izabel até então é o maior de Betim, em tamanho e equipamento. Tem um papel histórico relevante, desde sua construção, na década de 1930. Na atual administração vem sendo utilizado em projetos da Funarbe, como para as atividades do CPC e da Biblioteca que funcionam no espaço, lá é também um dos espaços utilizados para Escola da Gente e eventos de diversas entidades culturais e sociais. Ainda sonhamos e lutamos para realizar uma grande reforma que possibilite colocar o Cine Glória pronto para receber as grandes apresentações artísticas de Minas Gerias. Sempre estamos atentos à histórica vocação artística de Santa Izabel e Citrolândia.

- Em 2007 alguns estudantes do sétimo período de jornalismo, da Instituição João Alfredo Andrade (J. Andrade) em Juatuba , fizeram  um documentário sobre a historia da colônia e de seus moradores retratando todas as dificuldades de cada um dos personagens. Hoje este documentário faz parte do acervo e da história dos moradores da Colônia o documentário se chama “Sob o Olhar de Santa Izabel”. O senhor teve oportunidade de assistir e porque não utilizar o espaço do Teatro para promover peças teatrais que retrate a história da comunidade e promover também concursos culturais na comunidade?

Tive a oportunidade de assistir este belo trabalho e conhecer o diretor Márcio Antunes e orientador Richardson Pontone. ‘Sob o olhar de Santa Izabel’ conta com depoimentos de alguns moradores como Antônia Barroso, José André, Expedita e Paulo Domingues. O documentário foi exibido no Cine Teatro Glória nas comemorações do Concerto Contra o Preconceito. O cine-teatro é sempre utilizado para diversas apresentações, dentre elas as que contam histórias de nossa comunidade. Alguns exemplos são os documentários "As Faces do Preconceito", produzido pelo cinegrafista Claúdio Yoshinaga, "Zélia, a história de muitas pessoas” e “Santa Izabel – Passado, Presente e Futuro” produzidos por crianças da região. A Companhia de Teatro Akawã sempre utiliza o espaço para apresentar seu trabalho e divulgar nossa história.

- A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) aprovou por unanimidade, o parecer do senador João Ribeiro (PR-TO) o projeto de lei (PLS 206/06) do senador Tião Viana (PT-AC) que assegura às pessoas atingidas pela hanseníase e que foram submetidas a isolamento e internação compulsórios em hospitais-colônia pensão vitalícia correspondente a R$ 700, valor a ser reajustado anualmente, conforme índices aplicados aos benefícios previdenciários. O que o Senhor tem feito para ajudar estas famílias que tem direito a esta ajuda?

Participei de todo processo de concessão da indenização aos ex-pacientes de hanseníase isolados compulsoriamente em colônias. Estive ao lado da então deputada Maria do Carmo Lara - relatora do projeto de lei - do Morhan e dos moradores de Santa Izabel, desde a mobilização dos ex-pacientes até a assinatura da lei pelo então presidente Lula. Estivemos cerca de quinze vezes em Brasília e contamos com importantes apoios, como do cantor Ney Matogrosso, do coordenador nacional do Morhan, Artur Custódio, do então senador Tião Viana e à sensibilidade de Lula pelas minorias sociais. Lula sempre destaca que um dos momentos mais marcantes de seu governo foi quando recebeu os ex-pacientes de hanseníase no Palácio do Planalto; aqueles que não podiam usufruir do sagrado direito de ir e vir se emocionaram ao entrar em um espaço tão simbólico.

Agora, estamos mobilizados pela causa dos filhos dos pacientes de hanseníase que foram separados dos pais. A presidente Dilma já os recebeu algumas vezes e já montou um grupo de trabalho para elaborar uma proposta de indenização para os mesmos.

- Em alguns encontros no Auditório da Câmara dos Vereadores, o senhor é constante vaiado por populares que participam da plenária. O senhor acredita que essa manifestação, deve-se por conta da sua posição como líder de governo, ou é uma expressão do cidadão contra a administração atual?

Valorizo sempre a liberdade de expressão. É sempre bom comemorarmos a possibilidade de sermos livres para nos manifestarmos. As pessoas têm opiniões, escolhas e prioridades diferentes. Sigo o princípio do Partido dos Trabalhadores: estarmos sempre do lado dos menos favorecidos, das minorias sociais. Aqueles que são contra nossa postura acabam manifestando contrariamente, mas isto não me incomoda.

BATE-BOLA

- ADMINISTRAÇÃO MARIA DO CARMO: Marca do modo petista de governar: onde os menos favorecidos são os principais beneficiários.


- REELEIÇÃO 2012: Necessária para Betim continuar crescendo.

- PRECONCEITO: Precisa ser eliminado.

- COLÔNIA SANTA ISABEL: Espaço sagrado, marcado pelo sofrimento, lutas, superações e alegrias.


- GOVERNOS LULA E DILMA: Marco de transformação do país.

Adicionar comentário

Este espaço é fornecido para que os internautas possam expressar suas opiniões sobre o artigo postado. Para outros comentários clique aqui.


transparente