Vereador Waldir Teixeira

opositor-solitarioO empresário e vereador Waldir Teixeira (PV), fala com exclusividade ao BETIM ONLINE sobre seu trabalho realizado na Câmara Municipal em seu primeiro mandato como vereador.
Waldir tem travado uma disputa acirrada com a atual administração, e é considerado pela ala tucana da câmara como a única ou maior oposição da prefeitura.

 

- Quando surgiu o interesse pela vida pública? E porque a escolha do Partido Verde?

Sempre tivemos uma preocupação social muito grande, muito antes da minha atuação dentro da política partidária. Porém, o desejo de ampliá-lo me fez buscar apoio junto ao Poder Público, mas não consegui por naquela oportunidade não integrar a política partidária. Neste sentido, decidi disputar minha primeira eleição. Quando manifestei esse desejo, diversos partidos políticos me procuram para conversar. Reuni com muitos, dentre eles o Partido Verde que possui um grande diferencial em relação a todos: a preocupação com o meio ambiente. Sabemos que a sobrevivência da humanidade depende da sobrevivência dos recursos naturais. Logo, penso que não adianta cuidar da sociedade sem cuidar do meio ambiente. Além disso, o PV - através de seus membros - foi o partido que melhor me recebeu e me deu atenção. E ainda hoje é assim.


- Porque o desejo de ser vereador em Betim e não em Contagem?

Fui criado em Contagem. Vi a cidade crescer. Porém milito em Betim desde 1979, mas morar mesmo foi a partir de 1984, desde então vejo as necessidades locais.

- Além de político e empresário, o senhor desenvolve um trabalho na área social com o Projeto Criança Feliz, que infelizmente teve algumas das creches fechadas e a demissão de funcionários. Apesar disso, o projeto vem oferecendo cursos profissionalizantes para a população. Na sua condição de cidadão, o senhor se sentiu perseguido politicamente quando o convênio com a prefeitura foi cancelado?

O Projeto Criança Feliz foi criado há aproximadamente 22 anos, sendo que naquela oportunidade atendia diretamente a população do Icaivera. A princípio e por meio dele, a qualidade de vida ofertada à comunidade se deu através da construção do Ginásio Poliesportivo na Escola Estadual João Guimarães Rosa, construção do campo de futebol e creche (que era composta por trabalhos voluntários). Cabe destacar que esses espaços de lazer permanecem à disposição da comunidade, sendo usado da melhor forma possível.
Posteriormente, esse trabalho foi imensamente ampliado. Diversos bairros eram atendidos por inúmeros cursos profissionalizantes: Jardim das Alterosas, Bueno Franco, Cruzeiro do Sul, escolinha de futebol no Icaivera e Vila Cristina. Foi ampliado ainda o atendimento educacional às crianças, as conhecidas creches. O então prefeito de Betim, Carlaile Pedrosa, foi especialmente sensível com a oferta de vagas em creches e achou uma alternativa inteligente e menos cara para esse problema. Ele chamou entidades de notória reputação na cidade, dentre eles o Projeto Criança Feliz, e convidou para celebrar convênio, onde essas elas deveriam adaptar um imóvel para receber as crianças. E a prefeitura custeava a folha de pagamento, despesas administrativas e a merenda.
Desde a posse da prefeita, diversas entidades tiveram solicitações variadas como projeto de combate a incêndio. Ainda hoje as creches municipais não possuem essas exigências. Enfim, tudo solicitado foi atendido, mas em dezembro de 2010 eles simplesmente não quiseram renovar os convênios, sob o argumento de que eles “não queriam mais”. Absolutamente TUDO que a prefeitura exigiu foi atendido, mesmo assim não renovaram. O Projeto Criança Feliz queria continuar com as creches, mas a prefeita não quis que as creches continuassem à disposição da população.
Por isso, não vejo perseguição política comigo, enquanto fundador do projeto. Não mesmo! Vejo a sociedade sendo perseguida. Eram aproximadamente 900 crianças atendidas, são elas e os pais delas que foram e continuam sendo perseguidas. É lamentável essa falta de sensibilidade com os interesses do povo de Betim.

- No final de 2011 o senhor apresentou várias emendas, incluindo o aumento salarial para o servidor público. No entanto essa emenda não foi aprovada, assim como a maioria das suas emendas e projetos. O senhor se sente traído pelos colegas da Câmara Municipal, principalmente os representantes tucanos que deveriam ser a oposição do governo administrado pelo PT?

O único momento em que o parlamentar pode apresentar idéias que impliquem custos à Prefeitura (projeto de lei ou emendas a projetos de leis) é na votação do Orçamento Anual, que é uma lei que apresenta como todo o dinheiro da cidade deverá ser gasto no ano.
Neste sentido, fazemos ao longo do ano pesquisas das obras e serviços que a população quer, em toda Betim. Nosso mandato se orgulha dessas emendas. Batemos recorde. Em pesquisa na Câmara, não identificamos outro vereador que tenha feito tantas emendas como nós. A população se identifica conosco, nós nos colocamos à disposição como porta-voz do povo. TENHO SIDO UM PORTA-VOZ DAS INSATISFAÇÕES DOS BETINENES.
Acreditamos que esse seja um dos motivos do Instituto Tiradentes nos escolher como um dos mais atuantes do Município, por três anos consecutivos. Principalmente por essa honraria ser outorgada através de opinião pública, manifestada por meio de pesquisa.
Em relação aos servidores públicos, tenho lutado por um aumento salarial digno, desde 2009. Acredito que a melhor propaganda é a satisfação do cliente e isso se aplica ao servidor. Caso ela tivesse reajustado o salário pelo menos nos índices inflacionários, provavelmente a imagem junto a eles não estaria tão desgastada. E com a população também, afinal eles são formadores de opinião e atendem moradores o tempo todo, eles interferem diretamente na opinião pública. Desde 2010 estou na presidência da Comissão Permanente de Defesa do Servidor Público e tenho recebido diariamente reclamações. Eles confiam na minha postura.
Essa é a minha opinião e na democracia é assim. Cada um faz aquilo que acha certo. Para mim o certo é apresentar o erro, criticar, apurar, denunciar. Mas não só isso, apresentar soluções para esses erros. E minha consciência está tranquila, todas as minhas críticas foram acompanhadas de sugestão. É lamentável que o atual governo não as tenha aproveitado.

- O Senhor tem alguns projetos de destaque na cidade, como a criação do Parque Ecológico Felizberto Neves, a reserva de vagas de trabalho para pessoas com necessidades especiais, entre outros. Qual desses projetos o senhor tem como a menina dos seus olhos?

A coleta seletiva em “shoppings centers”, empresas de médio e grande porte, a condomínios industriais, a condomínios residenciais, a condomínios comerciais, instituições financeiras, casas lotéricas, clubes recreativos e instituições afins, e as repartições públicas são obrigados a implantar processo de segregação dos resíduos recicláveis, por meio da lei 4.957/2010 que é de nossa autoria.
Propomos também a criação da Autorização Ambiental de Funcionamento (AAF), que é uma licença ambiental mais simples e barata, mas com medidas de proteção ambiental.
Enfim, são vários projetos. A criação do Parque Felisberto Neves é de extrema importância. Os parques precisam ser criados por lei, afinal é uma Unidade de Conservação. Se o Felisberto for criado, permitirá a proteção ambiental e ampliará a arrecadação betinense, vez que é possível buscar o ICMS Ecológico. Para os portadores de necessidades especiais sugerimos a criação de vagas nos estágios e empregos terceirizados oferecidos pela Prefeitura, além de carrinho de compra motorizado em supermercados.
Na área ambiental tem ainda: a criação do “Concurso Anual de Redação, Poesia e Pintura sobre o Meio Ambiente”; a inclusão de borracha proveniente de pneus inservíveis na composição do asfalto utilizado pelo município; a inclusão do conteúdo “educação ambiental” nas instituições de ensino municipais e conveniadas; a criação do “Selo Amigo do Meio Ambiente”; a obrigatoriedade da afixação de número de telefone da secretaria adjunta de meio ambiente em indústrias efetiva ou potencialmente poluidoras; e a regulamentação detalhada da poluição sonora decorrente de fontes móveis (veículos, motos e etc), por exemplo.
Tivemos a oportunidade de modernizar a Lei de Incentivo a Cultura, que foi criada em 1999 e não atendia mais os anseios dos artistas. Discutimos amplamente com os artistas, foi um dos projetos mais debatidos da atual legislatura.
E recentemente aprovamos regras para que os membros de religiões que são guardadores do sábado não sejam prejudicados por não poderem comparecer às aulas.
Por último, aprovamos também o Dia da Valorização do Doador de Órgãos, Tecidos e Sangue no Município de Betim. Ficamos sensibilizados com o exemplo de superação do empresário e ex-deputado federal Vittorio Medioli e criamos um mecanismo que motivasse a doação.  

- O senhor sempre se apresenta sorridente dentro e fora da câmara, de onde vem tanta alegria?

Essa é a minha personalidade. Sou uma pessoa que tenho muito a agradecer ao nosso Deus. Precisamos atrair coisas boas, mas para isso tento exalar coisas boas também. Tenho a alegria de ter sempre pessoas de competência ao meu lado, tanto do ponto de vista humano quanto do profissional.

- O Senhor tem a sensação de ser o único opositor ao governo da prefeita Maria do Carmo Lara dentro da câmara?

Sinceramente por muito tempo não percebia isso. Fiz meu trabalho dentro daquilo que entendo como certo.
Entretanto, com o tempo os próprios vereadores afirmaram isso. Foi quando notei isso.
Mas quero deixar claro que não era essa a proposta. A intenção era e sempre será fazer o melhor pelo povo de Betim. Porém, como as propostas do Governo da Maria do Carmo nem sempre são aqueles que o povo realmente precisa, na grande maioria manifestei contrário.
O pior de tudo foram os fatos que chegaram até nós. Denunciamos e investigamos todos eles.
Sinto orgulho de ser o único que defende o grupo político encabeçado por Carlaile Pedrosa.


- O senhor já se sentiu pressionado a votar contra sua vontade?

Claro que sim, uma única vez. Mas quero deixar claro que não cedi. Esse foi o ponto de partida para que o governo começasse a me enxergar como oposição. Se pensar com a própria cabeça é ser oposição, sou sim oposição.

 

- Seu nome figura na lista dos indicados para ser o vice-prefeito na chapa do Deputado Federal Carlaile Pedrosa. O senhor acredita que esta indicação vem do grupo político ao qual o senhor faz parte ou do seu trabalho realizado na cidade ao longo do seu mandato?

Realmente dizem que meu nome consta da lista dos possíveis indicados para ser o vice-prefeito na chapa a ser encabeçada pelo pré-candidato Carlaile Pedrosa.
Mas a motivação deve ser em função de um somatório de situações. Dentre eles a indicação do grupo político e a repercussão positiva do meu trabalho. Sou da periferia e do PV, que é o partido mais forte do grupo político liderado por Carlaile. Exatamente em função dessa força, existem outros três nomes aptos a serem indicados: o deputado estadual Rômulo Veneroso, os vereadores Pãozinho e Nehemias.
Neste sentido, é preciso que nós correligionários estejamos unidos para que o nome seja de um de nós. Somos quatro parlamentares com grande representatividade na cidade. Em evento recente, o PV, por meio do presidente Osvander Valadão, reivindicou formalmente a vice-prefeitura, mas também o poder de indicar o nome. Tenho convicção de que o nome será o melhor para Betim. Se for o meu, podem ter certeza que continuarei trabalhando dia e noite para o bem da nossa amada Betim.

- Quais são seus projetos para as eleições deste ano? O que você mudaria a partir de agora na sua equipe de trabalho e o que o senhor não faria numa possível próxima legislatura como vereador?

Meu nome está à disposição do Partido Verde para qualquer cargo que será disputado na próxima eleição.
Em relação a equipe, julgo que tenho a maior e melhor equipe de apoio dentre os vereadores de Betim. Observo que minha estratégia é buscar um maior comprometimento da equipe.


BATE-BOLA

- FAMÍLIA: A coisa mais importante do mundo

- UM POLÍTICO NÃO PODE: Mentir

- FUTEBOL: Paixão nacional

- O SERVIDOR PÚBLICO MERECE: Respeito

- PROJETO CRIANÇA FELIZ: Uma maneira de agradecer a Deus tudo que ele colocou para eu e a minha família para tomar contar. Porque dono é Deus.

Adicionar comentário

Este espaço é fornecido para que os internautas possam expressar suas opiniões sobre o artigo postado. Para outros comentários clique aqui.


transparente