Égua com sinais de maus-tratos é resgatada caída em rua em Betim

16-10-2021Foto: Sepa/Divulgação

Equipes da Superintendência de Bem-Estar e Proteção Animal (Sepa) e da Guarda Municipal de Betim, socorreram, na última segunda-feira (11), uma égua que foi encontrada caída na rua, no bairro Taquaril. Segundo denúncias de moradores, o animal estaria sofrendo maus-tratos. O animal estava magro e apresentava algumas lesões pelo corpo.

A égua foi levada de caminhão para a sede da Sepa, no parque de exposições, no bairro Angola, onde permanece em observação, sob os cuidados de um médico veterinário da superintendência.

“Tivemos bastante dificuldade de resgatar a égua, porque ela estava muito debilitada e não conseguia ficar em pé. Junto com a guarda, tentamos localizar o dono, sem sucesso. Depois, a levamos para a Sepa, onde ela ficou quatro horas tomando soro e sendo cuidada. Felizmente, depois disso, ela melhorou e foi levada para a baia, onde permanece sob observação”, explicou a superintendente da Sepa, Roberta Cabral.

Para combater o crime de maus-tratos a animais, o canal de denúncias da Sepa é o WhatsApp (31) 99830-2954.

PUNIÇÕES
Uma lei federal que vigora no Brasil determina que maltratar animais de qualquer espécie é crime ambiental, podendo o autor ser multado e ficar preso por até um ano. Já quando o delito tiver como alvo cães e gatos, a penalidade na legislação federal é ainda maior, podendo o culpado ficar recluso por até cinco anos.

No âmbito estadual, também há uma lei para punir quem for pego cometendo violência contra animais. Além de prever detenção para os envolvidos e multas que podem chegar até R$ 3.944, a legislação é mais abrangente do que a federal, uma vez que esmiuça claramente os tipos de crimes que podem ser cometidos contra os pets, com detalhamento para cada tipo de punição a ser aplicada.

Em Betim, desde 2019, a prefeitura criou uma legislação para garantir a proteção dos animais que sofrem maus-tratos. A Lei nº 6.540, além de prever punições rigorosas para quem pratica violência contra animais, como multa de até R$ 2.564 para os responsáveis por esse tipo de crime, foi fundamental para fundar a Sepa.

“Além de averiguar as denúncias de maus-tratos, recolhemos esses animais, cuidamos deles e os colocamos à disposição para adoção responsável”, disse Roberta Cabral, superintendente da Sepa.

Adicionar comentário

Este espaço é fornecido para que os internautas possam expressar suas opiniões sobre o artigo postado. Para outros comentários clique aqui.


transparente