Betim contabiliza estragos depois do temporal de segunda (27)

61-09-2021Foto: Prefeitura de Betim/Divulgação

Um dia depois do temporal, que com poucas horas inundou ruas, derrubou árvores e deixou famílias desalojadas, em Betim, a Superintendência Municipal de Defesa Civil contabiliza causados pela força das águas. Segundo o órgão, na segunda-feira (27), o volume médio de chuva que caiu na cidade foi 18,16 milímetros.

O bairro Icaivera foi o mais atingido, com ao menos seis chamados atendidos na segunda. Em um deles, uma família que mora na Arapagua ficou ilhada e teve que ser retirada de sua casa. Já na rua Marajayba, segundo o Corpo de Bombeiros, quatro pessoas ficaram “presas” depois que a porta da residência foi “travada” pela força da água. Os moradores não precisaram ser transferidos para outro espaço.

Também durante o temporal, outras seis ocorrências de menor proporção foram atendidas nos bairros Cruzeiro do Sul, Duque de Caxias, Nossa Senhora de Fátima, Campos Elíseos, Guanabara e Angola.

Conforme a prefeitura, desde os primeiros chamados até a manhã desta terça (28), equipes da Defesa Civil, da Empresa de Construções, Obras, Serviços, Projetos, Transporte e Trânsito (Ecos) e da Secretaria Municipal de Assistência Social estão na região do Icaivera para análise técnica dos pontos atingidos, para realizar a limpeza dessas áreas e fazer o atendimento aos moradores que tiveram as casas invadidas pela água. Uma equipe do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) da região está realizando o levantamento das famílias afetadas.

Unidades de saúde

O grande volume de chuva também causou impactos em alguns equipamentos de saúde. As Unidades Básicas de Saúde (UBSs) dos bairros Imbiruçu, Guanabara, Petrovale e Nova Baden tiveram o fornecimento de luz interrompido durante o temporal. Com isso, as vacinas que estava nesses centros de saúde tiveram que ser recolhidas pela Secretaria Municipal de Saúde. Mas a prefeitura informou que não houve perdas de imunizantes.

"Nesta manhã, a Central de Vacinas está repondo o estoque dessas UBSs para que a vacinação dos adolescentes de 14 anos ocorra sem intercorrências. Em razão dessa operação, pode haver um atraso no início da vacinação nesses locais", esclareceu o município.

"As visitas aos equipamentos públicos se iniciaram pela UPA Alterosas. Vamos percorrer todas as outras e, no fim da tarde, faremos um encontro para identificarmos as possíveis soluções", declarou a presidente da Ecos, Marinésia Makatsuru.

Adicionar comentário

Este espaço é fornecido para que os internautas possam expressar suas opiniões sobre o artigo postado. Para outros comentários clique aqui.


transparente