facetwitter

Publicidade

saraproencafotografias

Nesta semana, dois casos de maus-tratos a animais repercutiram

Nesta semana, dois casos de maus-tratos a animais repercutiram na cidade, principalmente, nas redes sociais.

O primeiro que gerou comoção nesta semana foi a de uma égua encontrada amarrada na região da Várzea das Flores, no último domingo (26). O animal estava com diversos ferimentos e, em vários deles, havia até larvas. Ele foi encontrado por pescadores, que pediram ajuda. A ONG Asas e Amigos, com sede na cidade de Juatuba, levou o animal para tratamento e que está sendo possível graças a doações.

“A égua foi encontrada em estado muito triste mesmo, machucada, magra e desidratada, mas já está se recuperando graças ao apoio das pessoas. Foram feitos curativos e aplicado medicamentos”, disse o diretor da ONG, Felipe Queiroga. “Há um inchaço muito grande ainda na região dos olhos, então, temos que esperar um pouco mais para fazer um diagnóstico mais preciso”, completou.

O outro caso foi o de um servidor do Centro de Controle de Zoonoses e Endemias, que usou um cambão para tentar retirar um cão, que já estava doente e que foi vítima de atropelamento, debaixo de um veículo. O animal foi levado para o canil, mas não resistiu. Um vídeo do estado do cão foi divulgado na internet. O servidor está afastado, e uma auditoria assistencial foi aberta para investigar o caso.

Em suas redes sociais, o prefeito Vittorio Medioli disse que ficou “chocado”. “Quero deixar claro que não admito isso e que não é essa a política adotada em Betim. Vocês sabem da minha luta antiga pela causa animal. Estamos trabalhando duro para que os animais tenham tratamento digno em nossa cidade. Nos últimos três meses, foram realizadas 450 castrações pela Zoonoses. Também está em andamento a proposta de construção de um Centro de Esterilização e Bem-Estar Animal, em parceria com a iniciativa privada. Um veículo adaptado para atuar como "castramóvel" está sendo preparado para, em breve, estar nas ruas”, disse.

Ainda segundo o prefeito, a equipe do Zoonoses, em parceria com a Sociedade Civil Organizada, está promovendo ações de sensibilização na regional Alterosas, onde o índice de animais abandonados é maior. “Estamos em negociações adiantadas com a PUC Betim para oferecer atendimento gratuito nos casos mais graves”, destacou.

Comentários   

 
Juliana
0 #1 Juliana 04-12-2017 11:18
Gostaria muito que essas pessoas que maltratam animais, passassem pelo mesmo sofrimento deles.
Pessoas que fazem isso com esses inocentes bichinhos são capazes de fazer com qualquer outro ser humano, sem dó nem piedade. São pessoas de coração podre, fétido, nojentos. O ser humano deveria ser uma raça em extinção principalmente esses monstros que vem ocupando o mundo a cada dia.
Citar
 

Adicionar comentário

Este espaço é fornecido para que os internautas possam expressar suas opiniões sobre o artigo postado. Para outros comentários clique aqui.



Publicidade