facetwitter

Publicidade

saraproencafotografias

Ecos se reestrutura para operacionalizar rodoviária

A Câmara aprovou nesta semana o projeto de lei do Executivo reestrutura a Empresa de Construções, Obras, Serviços, Projetos, Transporte e Trânsito de Betim (Ecos). O objetivo, segundo o governo, é melhorar os serviços prestados.

De acordo com a presidente da Ecos, Marinésia Makatsuru, foram readequadas algumas diretorias. “Percebemos que precisávamos alterar algumas estruturas dentro da empresa para que possamos melhorar os serviços oferecidos. A Ecos é uma empresa de serviços, de projetos, que absorveu a antiga Secretaria de Obras, a Transbetim e outros setores, por exemplo. Então essa reestruturação visa planejar melhor nossas ações para que os serviços cheguem com mais qualidade à população”, explicou Marinésia.

Uma das mudanças foi a criação da Gerência da Rodoviária, dentro da Diretoria Executiva de Transporte e Trânsito (Transbetim), que continua que continua pertencendo à Ecos, para que a empresa faça a gestão do terminal. A previsão é que a rodoviária inicie suas operações no próximo dia 20. “Essa gerência é necessária para colocar a rodoviária para funcionar, visto que a mesma foi entregue há mais de cinco anos, mas nunca funcionou, e é uma demanda da população. Será uma grande conquista para a população, que poderá usufruir desse local ainda neste fim de ano”, defendeu o líder do governo na Câmara, vereador Tiago Santana (PCdoB).

O prédio do terminal rodoviário está em obras desde agosto, quando iniciaram as intervenções de readequação do espaço, conforme as exigências do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagens (DEER) de Minas Gerais. O custo está sendo arcado pelo Partage Shopping. Com isso, após o fim das obras, previstas para a próxima semana, será feita uma vistoria no local.

Após essa vistoria do DEER, que verificará se as adequações estão de acordo com o projeto aprovado, será iniciado o processo de operacionalização da rodoviária. A gestão do terminal ficará a cargo do município. “Já estamos fechando parcerias com outros órgãos, como a Polícia Militar, Juizado Especial de Menores e a Guarda Municipal”, disse a diretora de Transporte e Trânsito, Vânia Elias.

A rodoviária terá sete plataformas para embarque e desembarque de ônibus rodoviários (na parte da frente, às margens da BR–381), além de um terminal para as linhas municipais e metropolitanas (na parte dos fundos do Terminal). A capacidade máxima do terminal rodoviário é de 504 viagens diárias.

Na última sexta-feira (24), representantes de diversas empresas de ônibus se reuniram com o prefeito Vittorio Medioli e com a Diretoria Executiva de Transporte e Trânsito (Transbetim) para tratarem sobre a operacionalização das linhas.

“Diversas empresas já demonstraram interesse em operacionalizar em Betim, como a Gontijo, Gardênia, Cometa, Mota, Expresso Util e outras, com vários destinos. Estamos em fase de final de negociação com as mesmas para início de operação”, acrescentou Vânia Elias. “Com o início de funcionamento do terminal no dia 20, outras linhas poderão ser acrescentadas de acordo com o interesse das empresas de transporte rodoviário”, completou Vânia.

Obras
As obras de readequações na rodoviária se iniciaram no fim de agosto após a aprovação do projeto por parte do DEER-MG. Ao todo, os empreendedores do Partage Shopping investiram cerca de R$ 880 mil nas melhorias. As principais mudanças foram a inversão das plataformas de embarque e desembarque, sinalização vertical (placas) e horizontal (faixas no pavimento) das vias internas da rodoviária, além da recuperação de estragos feitos por vândalos aos longos dos últimos anos, como em banheiros, fiação elétrica e laje.

Para o prefeito Vittorio Medioli, o início do funcionamento é uma conquista. “Foram feitos grandes esforços, com harmonia e capacidade, para colocarmos a rodoviária para funcionar. Ela vai atender não apenas Betim, mas toda a região no entorno”, afirmou.

A obra da rodoviária foi aprovada pela população no Orçamento Participativo de 2010 para ser executada pelo governo municipal, mas o empreendimento foi construído pelo Partage Shopping, que anunciou na época ter investido R$ 20 milhões. O terminal foi entregue em meados de 2012, mas nunca funcionou de fato.

Adicionar comentário

Este espaço é fornecido para que os internautas possam expressar suas opiniões sobre o artigo postado. Para outros comentários clique aqui.



Publicidade