Vittorio Medioli: "Betim tem jeito!"

vittorio1

O prefeito Vittorio Medioli (PHS), aceitou nosso convite, e respondeu a trinta e uma perguntas da sua gestão.
As perguntas foram escolhidas através de dúvidas constantemente feita pela população, e perguntas criadas pelo portal.

1) Em qual situação a prefeitura foi entregue?
Em estado caótico, endividada, desarrumada , cheia de dívidas e com setores imprescindíveis sucateados, como a Saúde, ainda sem medicamentos, com milhares de procedimentos atrasados, com o hospital com corredores tomados, mais de 40 mil pacientes na fila para cirurgias, análises e consultas.

2) O que está sendo feito para quitar a dívida do município?
Cortamos despesas, otimizamos rotinas, retiramos desperdícios, e práticas de compras irresponsáveis.

3) As "infrações" cometidas pela gestão anterior serão penalizadas?
Não cabe ao Executivo penalizar, apenas corrigir as práticas erradas, obviamente de olho em eventuais recuperação que possam repor recursos no caixa para atender à população.

4) Quando os servidores terão o aumento do salário?
Estamos enxugando ao máximo os desperdícios para avaliar quanto será possível dar de aumento. Entretanto, pelas regras, o aumento é vegetativo, pois as progressões salariais de biênios e quinquênios representam aumento anual da folha de 4,5%. Isso significa que com o "envelhecimento dos quadros funcionais", a arrecadação do município é "obrigada" a crescer 4,5% no mesmo período, mas hoje a recessão econômica e encolhimento do PIB nacional, estadual e municipal deixam essa tarefa complicadíssima. Será necessário discutir com maturidade essa realidade para que se prepare Betim para o futuro. As projeções são de queda acentuada de arrecadação em 2018, devido à saída de metade da produção da Fiat, e a fuga de empreendimentos dos últimos 8 anos de Betim.

5) Concurso público?
Concurso é cogitavel para as Guardas Municipais. Betim tem em seu quadro 14.000 servidores, portanto, uma relação (entre número de servidores per capta) que é o dobro de Belo Horizonte e o triplo de São Paulo. A equação ficou insustentável para as finanças em quedas de Betim. Essa é uma triste realidade que precisamos enfrentar com equilíbrio e contas abertas. É isso que vamos implantar assim que o sistema de dados (herdamos um atrasado e conturbado) estiver pronto. Cada cidadão terá como analisar a forma com que é aplicado "seu dinheiro".

6) Quando as empresas devem começar a abrir vagas? O Sine vai funcionar direito e atuar nas redes sociais?
Destravamos 316 alvarás apenas em janeiro, enquanto em 12 meses de 2016 foram apenas 136. Aprovamos, com o apoio da Câmara, uma nova lei que dá um basta a burocracia perversa que servia apenas para atender privilégios e especulação. Isso está atraindo interesses não só de empresas nacionais, mas estrangeiras . A fama de Betim, de complicada, cara e difícil, está mudando rapidamente. Mas muitas ações ainda serão implementadas. Essa é a única forma de enfrentar os problemas do desemprego, da falta de oportunidades e da qualidade de vida em queda.

7) O governo vai ajudar no crescimento do empreendedor individual, e do micro e pequeno empresário, de qual forma?
Essa é uma das nossa maiores preocupações. Pretendemos estimular o empreendedorismo, desde o micro empreendimento até os maiores. O futuro passa por isso. Vamos dar muito apoio. Já em março pretendemos criar uma "feira hippie" aos fins de semana, e gerar oportunidades para pequenas empresas de Betim. Vamos apoiar os nossos taxistas, permissionários e dar partida ao projeto de um aeroporto que será um divisor de águas e representa uma atividade estruturante para toda a região.

8) Quais medidas serão adotadas para reduzir a violência e a criminalidade?
Tivemos, nos primeiros dois meses de governo, uma queda de 25% de homicídios e assaltos, fruto de uma maior integração da GM, que, pela primeira vez, é valorizada e colocada a serviço da comunidade. A parceria com as polícias Civil e Militar também tem servido para aumentar a ordem, paralelamente a uma postura de solidariedade, de esperança e de atenção com a população. Inúmeras ações já estão diminuindo a tensão social, como a limpeza dos bairros e o patrulhamento. Somos uma cidade do Bem e precisamos acreditar em nós e arregaçar as mangas.

9) O senhor vai pedir para o governador aumentar o efetivo das polícias Civil e Militar na cidade?
Issso já está ocorrendo. O Batalhão será finalizado no primeiro trimestre, um segundo já foi criado e a relação é de parceria para enfrentar as dificuldades com serenidade e firmeza.

10) Quando e onde serão realizados o Betim Rural e a Feira da Paz?
Tempos dois locais aptos para isso. Não vai faltar essa alegria, como não faltou um carnaval, que há 20 anos não se realizava, e a comemoração do Dia da Mulher, que ocorrerá na quarta, dia 08, na praça Milton Campos, com a Paula Fernandes.

11) Quando será resolvida a situação do Teatro?
Temos uma reunião com todas as partes envolvidas nessa celeuma para a prõxima semana no meu gabinete, e sairemos de lá com um plano para acabar essa obra. Está sendo avaliado o custo e ainda os parceiros, já que nós não temos recursos par acabar essa obra.

12) Uma das grandes reclamações dos pais de família é a falta de vagas nas creches e escolas. A meta do governo é abrir quantas novas vagas por ano?
Detectamos 5.492 vagas que faltam para dar tempo integral no pré-escolar. Elaboramos um plano e espero que até 2018 teremos um município em condições de abrigar 100% da demanda, provavelmente o primeiro em Minas Gerais nessas condições de atendimento. Mas queremos dar qualidade e uma atenção indispensável para que o ser humano seja preparado e encaminhado para a vida.

13) Como fica a reforma do Horto e outros centros de atividades de esportivas?
Temos um plano de revitalização e um recurso que está para chegar, não muito grande, mas com competência e economia queremos dar ao Horto uma capacidade de atendimento e segurança que nunca teve.

13) É o fim dos abusos da empresa que administra o transporte público municipal? Dá para baixar a passagem?
É um problema seríssimo e preocupante. A qualidade do transporte municipal é um lixo, e assim não vai ficar, daremos um tempo para melhorar e, se não melhorar, interviremos com o que for preciso.

14) Quando poderá ser feita a licitação para que novas empresas de ônibus venham para a cidade?
É mera ficção achar que uma ou dez empresas sirvam para melhora. São os sistemas de controle e de penalidades que fazem a diferença, e isso implantaremos. Tem uma concessionária que ganhou até 2024, e até lá será difícil montar uma concorrência, mas ações enérgicas serão colocadas em prática. Temos apenas 70 dias de mandato e centenas de problemas urgentíssimos e prioritários. Sem desmerecer o transporte, isso será abordado com intensidade no segundo semestre deste ano.

15) A saúde de Betim está saindo da UTI?
A saúde está sendo descontaminada de práticas absurdas, irresponsáveis , caras e que espalharam ideias e conceitos errados. Estamos fazendo uma faxina, e colocando Betim em outro patamar. É dificílimo, mas aí é que está a vontade redobrada de vencer o que parece impossível. A saúde tem jeito, temos bons profissionais, pessoas comprometidas e que adoram sua profissão. O que faltava era ordem e comando. Estamos tirando esquemas de exploração da saúde e devolvendo uma condição de qualidade e sustentabilidade que nunca teve.

16) O sistema de marcação de consultas pode ser modernizado para agilizar o agendamento de consultas e cirurgias?
Sim , esse é um sonho meu e de muitos. Certo é que estamos partindo de um nível deplorável de organização e a caminhada para se chegar ao topo é mais longa, mas chegaremos.

17) A cidade vai cuidar dos animais abandonados e maltratados através da parceria com a Sociedade Protetora dos Animais de Betim?
A Zoonose, pela primeira vez na historia de Betim, recrutou uma pessoa que tem amor incondicional pelos animais, e nessa ótica mudaremos o entendimento de zoonose e de cuidados. Isso também requer tempo.

18) Como fica a situação dos parques ecológicos?
Estamos recadastrando todas as áreas com um patrimônio considerável, queremos mapear e coligar com macro e micro corredores essas áreas para preparar uma Betim de qualidade para as próximas gerações.

19) Quando os restaurantes populares serão reabertos?
Também a questão dos restaurantes é absurda, mas já peguei o fio da meada para reduzir o custo e ampliar o atendimento. Adotando medidas de sinergias e aproveitamento, vamos passar de 25.000 refeições por mês a 50.000 já em abril, reabrindo o atendimento em mais dois restaurantes da periferia. Portanto, mesmo sem dinheiro e com dívidas, subiremos para três restaurantes e diminuindo o custo unitário.

20) É cada vez maior o número de vendedores ambulantes sem autorização nas ruas. O que fazer?
Isso vai acabar, e logo. Estamos oferecendo uma alternativa para desocuparem as calçadas, o plano está pronto para iniciar nos próximos 30 dias.

21) Quando os projetos de assistência social e habitação serão iniciados?
A assistência social que herdamos é muito falha e sem lógica, custos exorbitantes para resultados modestos. Já temos um diagnóstico para melhorar, ampliar e fortalecer a assistência social, e iniciaremos ainda neste semestre uma onda de renovação.

23) A população reclama quando não tem, e quando tem, continua reclamando. Como lidar com isso?
Tem uma infinidade de coisas a se fazer . A lógica é que isso aconteça numa sequência, algumas ações acontecem primeiro e beneficiam os primeiros a serem atendidos. Mas nossa preocupação é de espalhar para todos os cantos, corrigindo as piores situações no início, lá onde o sofrimento está maior.

24) Qual a sua avaliação sobre o Mutirão do Bem?
Todo dia estamos acelerando os mutirões porque o atraso é imenso e até entrar numa rotina mais tranquila temos o dever de dar o máximo de nosso empenho.

25) Qual prazo seu secretariado tem para mostrar resultado?
Todos os dias eles são cobrados para que apresentem resultados.

26) Qual seu poder político na Câmara, e quem é ou será seu maior adversário nela?
O maior poder vem do consenso, da qualidade das ações propostas. Ainda temos um nível de vereadores que estão compreendendo, apoiando e ajudando para que possamos dar ao povo resposta a seus anseios. Estamos todos à disposição de uma ação intensa do Bem, do bom e do melhor possível. Isso gera um clima de união de esforços. Agradeço a todos os colaboradores, servidores e vereadores, é por ai que vamos deixar uma Betim melhor para todos.

27) Maria do Carmo ou Carlaile?
Cada um deu a sua contribuição. Eu vou dar a minha.

28) Alguma chance do senhor almejar o governo do Estado?
Eu sou prefeito enquanto durar meu mandato, entrego a Deus o meu destino e sei que Ele não me cobrará o que não posso.

29) O jornal O Tempo Betim vai poder falar mal do seu governo?
Claro, mas hoje está sintonizado com o que o povo fala.

30) Qual a diferença entre ser um empresário de sucesso e ser um funcionário do povo?
Estar a serviço de Deus é a mesma coisa que estar a serviço dos filhos dEle..

31) Uma mensagem para os betinenses.
Betim tem jeito, agora e sempre.

Adicionar comentário

Este espaço é fornecido para que os internautas possam expressar suas opiniões sobre o artigo postado. Para outros comentários clique aqui.



Publicidade